Apoio:

Crônicas e Fotos

de São Joaquim da Barra

NOSSOS TEMPLOS CATÓLICOS E NOSSOS PADRES

Desde 1896, quando para cá veio o Manoel Damásio Ribeiro e logo após, o Francisco Vidal, nas suas vendas eram realizados, batizados e casamentos pelo padre de Nuporanga, o reverendo Messias de Mello Tavares.  Somente em 31 de março de 1911 esta nova paróquia foi dada por instituída e erigida na diocese de Ribeirão Preto. Seus primeiros sacerdotes, tiveram permanência rápida pela vila, foram eles : o padre Salvador Sorrentino,  em seguida veio o padre Pedro Saveli e posteriormente o padre Nicolau Paolino. Nessa ocasião o Arcebispo Dom Alberto José Gonçalves visitou a paróquia de São Joaquim ficando hospedado na casa do Major Cardoso. Logo em seguida veio o padre Tertuliano Villela de Castro a 19 de abril de 1912. Em 3 de setembro de 1912, o padre Manuel Thiago Pontes,  português, chegou à nossa paróquia. Poder-se-ia dizer que foi ele o nosso primeiro vigário de fato, pois ficou 6 anos na vila. Pelo seu espírito dinâmico, interessado pelos acontecimentos políticos, agitou a paróquia. Já no final de 1913, decorrido pouco mais de um ano de sua estada em São Joaquim,começou a construção de um novo templo no local da capelinha existente desde 1901. O padre Pontes não assistiria a inauguração da sua Igreja, que aconteceu em primeiro de abril de 1919, mesmo sem estar de todo terminada.

        Depois do padre Pontes (1912 -1918), viria o padre José Vingelli ( 1918-1922), em  seguida o padre João Rulli (1922-1925) e finalmente com o padre Eugênio Dias (1925- 1947) que aqui chegou com a Igreja inaugurada e quase terminada. Com a saída do querido padre Eugênio, vieram para nossa paróquia os padres doutrinários. Aqui chegaram em 16 de agosto de 1947, os padres João Delpero e Francisco Balzola. Logo em seguida veio o padre Orlando Visconti (1951) – padre Francisco Balzola (1954) – Ernesto Ferrero ( 1956 ) – Sílvio Gasparotto (1957) – Atílio Garrone (1958) – Orlando Visconti (1959) - Mario Lano (1960) – Francisco Sabatini (1976) – José Seminati Filho (1983) – Antônio Eurípedes Silvério (1985) – Luis Mosconi (1987) – Gustavo Antônio da Silveira (1988) – Paulo Marcório Guedes (1991) – Lino Zagarella Cerenzia (1992 ).

              A partir de 15 de dezembro de 1992 a paróquia de São Joaquim da Barra passou a ser orientada pelos padres diocesanos Luiz Antônio Bretini e Evaristo de Oliveira.

             Sobre a história da presença da Igreja Católica Apostólica e Romana em nossa cidade o saudoso padre doutrinário Lino Zagarella  Cerenzia deu a opinião seguinte: “Se nós analisarmos atentamente o desenvolvimento histórico da nossa população joaquinense, observamos que a Igreja Católica foi sempre presente, solícita e constante. Com a fundação de uma primeira e pequena comunidade católica, organizada e orientada por sucessivos padres pioneiros, é delineado o início irreversível de um desenvolvimento espiritual e de uma civilização baseada nos princípios universais do cristianismo.  E tornou-se interessante a ereção de uma pequena capela como sinal visível da presença de uma preocupação pastoral da igreja.  A medida que a pequena comunidade crescia , sentiu-se a utilidade impelente de transformar a pequena capela em num templo maior, até chegar aos nossos dias com uma Igreja Matriz de vasta e imponente dimensão, cuja arquitetura ajuda o ser humano a se abrir para a contemplação do ilimitado amor a Deus” Sobre o nosso novo e majestoso templo o advogado André Chagari de Mogi das Cruzes , em 28/12/1972,  ao visita-lo deixou a seguinte mensagem :” Esta igreja é uma obra de arte encantadora que bem revela a presença de Deus palpitante e moderno no espírito daqueles que a projetaram, construíram, colaboraram e lhe dão vida.   Como o seu mais humilde visitante deixo-lhes um abraço de um irmão jubiloso por ter sentido o belo e por saber que tudo isso foi feito com tanta cultura e arte, sacrifício e denodo , em honra de Deus, nosso Pai.”         

     

Foto 1925- A famosa e saudosa Igreja do padre Pontes, iniciada em 1913, foi inaugurada em 01/04/1919, ainda inacabada. Somente em 1925 ficaria de fato terminada.  Seria demolida em 1963 para dar lugar à majestosa Matriz que hoje ocupa e embeleza a nossa Praça 7 de setembro (à sua frente existiam duas palmeiras ladeando um cruzeiro, que ali permaneram até 1927)

 

Padre Evaristo oficiando um casamento

 

Outro Altar Lateral da Igreja. Imagem de Nossa Senhora de Fátima         

 

No dia 28 de maio de 1988, foi inaugurada mais uma praça. A antiga Praça Brasil passaria a chamar Praça Padre Mario Lano.Foi ele o grande líder que, com auxílio de Geraldo Rodrigues Teixeira e a comisão escolhida para construir a atual  Matriz,a inaugurou em 30 de janeiro de 1969. Em frente à capela São Benedito foi erguido um busto do Padre Mário. Uma homenagem dos fiéis de São Joaquim a um sacerdote que dedicou toda a sua vida a espalhar amor e bondade.

 

Padre Atílio Garrone batisando o neto de Laércio Deieno              

 

Padre Evaristo de Oliveira e Padre Marquinho, durante a Oração Eucarística.

 

Padre Luiz Antônio Brentini                       

 

Padre Antônio Eurípedes Silvério casando Osmar Bagnareli e Tânia Maria de Oliveira

 

Padre Lino Zagarella Cerenzia, último Padre doutrinário da nossa paróquia 

 

Padre Francisco Sabatini (1976/83)                                                                                                                                                                                                                                   

 

Padre Luis Mosconi, batisando Ivan Cattani Malheiro em 31/03/1991

 

Dom Diógenes , bispo diocesano de Franca,crismando, tendo ao lado o Padre Gustavo

 

Padre Mário Lano aparece em primeiro plano, ao lado do menino Paulinho, filho do Prof. Ivo Vannuchi, abençoando as novas instalações da Santa Casa. Seguindo o Sr. Virgulino Nascimento ( Vice Prefeito), Nego Cândido, a senhorita Maria Helena Mendes Nascimento. À direita de braços cruzados o Dr. José Ribeiro Fortes. No fundo à esquerda Joaquim Reis e Luiz Mattaraia. 

 

Padre Ernesto Ferrero (1956/7)

Padre Sílvio Gasparotto (1957/8)

Padre Francisco Balzola (1951/1954

 

Padre Orlando Visconti em 1951 abençoando o lançamentoda pedra fundamental do Ginásio Estadual.

 

Foto de 1947- Os dois primeiros da Sacerdotes Congregação dos padres doutrinários em nossa cidade : Padre João Delpero e Padre Francisco Balzola.  Nas extremidades, duas catequistas, a da direita é dona Haydée R. Lúpoli

 

Foto de 1922-Padre João Rulli no casamento de Jerônimo Garcia Falleiros. Ao seu lado o médico Dr. Olímpio Macedo, presidente da Câmara de Veredores, Sebastião Lage,  advogado e, sua esposa Anita, Delminda filha do prefeito Jôsé Alfredo Nogueira e, seu esposo José Augusto Rodrigues.   

 

Foto de 1963 – A nossa saudosa Igreja sendo demolida.        

 

Uma visão interna da Igreja do padre  Pontes

 

Altar lateral No altar a estátua de Nossa Senhora das Graças.

 

Foto 1960- Altar mor da saudosa Igreja do padre Pontes.         

 

Foto de 1960- Bodas de ouro do casal

Tereza Consoni Vidal e Luis Consoni. Eles casaram em 1910 na antiga capelinha, abençoados pelo padre Messias de Mello Tavares.             

 

Foto de 1929 – Sentadas : Anita Stupello – Cotinha Martins Araújo Padre Eugênio Dias –Adelina Junqueira.-FILA-2- Ana Aristóteles Mariquinha Fagundes-Maria Vitória de Araújo – Brasilina Junqueira FILA-3-Romilda Kalil- Mariana Chediack- Tarcila Rodrigues - Cibele Couto Rosa- Anita Macedo. No alto ; Mariana Benta e Antônia Barbosa Irmandade do Sagrado Coração de Jesus .

 

 

   .    

                 

 

                       

 

       

 

 

                                                 

 

                                                                                                                                        

 

 

 

 

 

                                                                                                                                                                 

 

 

          

 

              

 

 

 

    

 

                                        


Voltar