Apoio:

Crônicas e Fotos

de São Joaquim da Barra

4 DATAS IMPORTANTES NA VIDA DA CIDADE

PRIMEIRA DATA

 

                                26/12/1917- Passou a ter uma circunscrição autônoma com Prefeito e Câmara de Vereadores.

                               

       

             Desde 1904, com apenas 6 anos de vida o povoado de São Joaquim começou a despertar a atenção dos distritos circunvizinhos da Comarca de Nuporanga, pelo seu vultoso progresso. Em 1910, quando todos esperavam a mudança da Comarca de Nuporanga para São Joaquim, o coronel Orlando com sua habilidade, manha e poder políticos trouxe a Comarca para Orlândia. Durante 7 anos passamos a depender administrativamente de Orlândia. Foram 7 longos anos para se livrar do jugo orlandino que os humilhava tanto. Por esta e outras razões houve uma alegria enorme com a notícia de estarem libertos administrativamente da vizinha cidade.

Uma foto comemorativa da elevação da cidade a município, tirada na esquina onde hoje está o Banespa-Santander. Aparecem sentado da esquerda para a direita, bem no centro, o Dr Antônio Torquato Junqueira, de boné,tendo á sua esquerda o Dr Olímpio Macedo e à sua direita o Sr Celso Torquato Junqueira. Os dois à direita, Zezico e Antônio Mendes de Oliveira    

 

Em 10 de abril de 1918 foi instalada a Câmara Municipal de São Joaquim e empossados os vereadores : Capitão Artur Gonçalves Bastos, Júlio Cezar Reis Medeiros, Antônio Ftnóchio, Dr. Olímpio Macedo, José Olyntho Fortes Junqueira e José Octávio de Almeida Prado.

 

 

SEGUNDA  DATA

 

                      31/12/1927 – Passou a ter jurisdição judiciária, sob a jurisdição de um Juiz de direito.

 NA INSTALAÇÃO DA COMARCA EM 25/05/1928, NÃO FALTARAM FOGOS DE ARTIFÍCIOS, ENFEITES NAS RUAS ,MISSA, BANQUETE E DISCURSOS.

      "Há 50 anos atrás os municípios de São Joaquim e Santana dos Olhos D Água comemoraram galhardamente a instalação da Comarca, atendendo à velha aspiração dos joaquinenses, separavam-se da Comarca de Orlândia, após longas batalhas políticas.

         As contendas entre os homens públicos dos dois municípios já eram antigas, tanto que nos idos de 1909 , São Joaquim pretendera que a cabeça de Comarca que era em Nuporanga passasse para a sua cidade.  Contudo atendendo à proposição de um vereador de Morro Agudo, Sr. Mansueto Ferrari, a mudança se deu para a Vila Orlando, sob a liderança e interferência do coronel Francisco Orlando Diniz Junqueira, que a instalou em 30 de março de 1910.  Mas as vontades joaquinenses não esmoreceram e seus filhos continuaram a luta, desta feita, para a obtenção da Comarca, e não para a sua transferência,      

           Assim é que o nome do notável homem público, antigo chefe local do Partido Republicano Paulista, fazendeiro aqui radicado durante vários anos , incansável batalhador pelos interesses de São Joaquim, tratou de conseguir a sua emancipação judiciária, por avaliar e medir os desejos locais, considerando que fora seu primeiro Juiz de Paz.

            Refiro-me ao venerando José Olyntho Forte Junqueira , que nunca se acomodando, tratou com denodo a criação e a instalação da nova Comarca.  Em data de de 31 de dezembro de 1927 era criada a Comarca de São Joaquim depois das lutas encetadas pelo referido José Olyntho, que indo à Orlândia , procurou o Sr. Arthur Oliva , titular do Cartório de Registro Geral e Hipotecas e mentor de chefes políticos , dele conseguindo o desdobramento da Comarca de Orlândia.,

             No dia 17 de março de 1928    o jornal local denominado “ A Comarca” em sua primeira página estampava a notícia que traduzia a velha aspiração e referente, finalmente, à instalação da Comarca que verificou-se no dia 25 de maio daquele ano.   Segundo relatos ainda do periódico , naquele dia a cidade esteve em festa, tendo comparecido para a instalação, o Sr. Secretário da Justiça Dr. Antônio Carlos de Salles Abreu, que no edifício do Fórum, então improvisado e sito à rua Minas Gerais , deu por instalada a novel Comarca..” 

( Trechos do discurso do Dr.Cyro Antônio Fachini Ribeiro de Souza, durante as solenidades comemorativas do cinqüentenário da Comarca de S. Joaquim da Barra )

 

Foto de 25/05/1929- Comemorando o primeiro aniversário da instalação da comarca de São Joaquim, em frente ao Hotel Raymundo (Hoje Grande Hotel São Jorge) FILA 1- SENTADOS:Padre Eugênio Dias - Algia Paschoal – Prof. Maria Barbierato – Sra. do promotor Dr. José Alves Motta (ambos sentados)-Sra de Manuel Bento da Cruz (escrivão do primeiro ofício,este em pé)–Sra do Dr.Olímpio Macedo, este em pé, Sra do Dr.Eurico de Mattos, este em pé, Alice Guedes de Sá – (atrás em pé, Paulo Maciel de Barros, escrivão do segundo ofício)– Sra do Dr.Álvaro do Couto Rosa, este em pé– Maria Aparecida Ferreira atrás em pé, Plínio Torquato Junqueira. FILA 2–Sebastião Machado Junior, (escrivão da coletoria estadual ) – Professor Alcides Barbosa – Dr.Carlos Werner, – Fernando Brasil (diretor do Grupo Escolar) – José Silveira Barbosa, escrivão geral de hipotecas –José Francisco de Oliva, primeiro juiz de direito da comarca – Ítalo Paschoal Francisco Stupello – Dr, Pedro Gelás - prof. Geraldo Sória –           ENCOSTADOS NA PAREDE- Pinho Nicolau - Antônio Almeida Sob.– Mansueto Brandi, - Índio – Mário Barbosa,  Antônio Mendes de Oliveira – Ezedéchias Parada – Brasilino C. Domingos-Rubens de Sá -Manoel Trindade- Humberto Monassi – Fioravante Zordan com o filho do Dr. Álvaro no colo.

 

 

TERCEIRA  DATA

 

06/12/1952 – Comemoração do cinqüentenário da elevação de São Joaquim a distrito.   

             Com o serviço de água e esgoto e o início de calçamento de nossa cidade, depois de 1945, um ar progressista soprou pelos nossos lados.      

       Assim em 1943 funcionou a Escola de Comércio, primeiro curso equivalente ao ginasial instalado na cidade. Em 1947 começou a funcionar o tão sonhado Ginásio Estadual.   Em 1951 seria instalado no prédio desse Ginásio, uma Escola Normal e, logo a seguir, o Curso Colegial. Nesse mesmo ano seria iluminado e reestruturado o nosso jardim.

        “ O Bandeirante” em 6 de agosto de 1950, ressurge em sua segunda fase, depois da cidade durante quase dez anos ter sido privada de jornal. Apareceram na praça 7 as novas instalações do Banco do Estado de São Paulo, em prédio reformado, atrás da Igreja. Na mesma praça onde hoje está o Bradesco, eram erguidas as novíssimas instalações do Banco Scatena.  Do lado de lá da praça onde hoje está a “ Eletro Zema” eram inauguradas as novas instalações do Cine Santa Cecília, em 16/12/1951..Na área religiosa chegavam a São Joaquim as Irmãs Salvatorianas com o objetivo de educar as nossas crianças.

         Parece que esse desenvolvimento todo foi surgindo, por estar a nossa cidade preparando-se, para comemorar o cinqüentenário da sua elevação a distrito que ocorreria a 6 de dezembro de 1952.

         Com o Sr. Roberto Rezende Junqueira na Prefeitura a data foi condignamente comemorada.

           As festividades ocorreram num ambiente com muitas manisfestaçãos de alegria.

           Houve um magnífico desfile tendo à frente um jipe que levava o Sr. Manoel Damásio Ribeiro, considerado um dos fundadores da cidade, houve conferências, uma delas feita pelo Sr. Plínio Salgado, famoso escritor e líder político da época.  Houve disputas esportivas entre os alunos da Escola de Comércio São José e o Colégio Estadual e Escola Normal ( COL- COM )          

             Para coroar o evento houve um Concurso Histórico Literário, incentivando pessoas a escreverem sobre a história de nossa cidade.

             Dois trabalhos foram apresentados, um feito pelos jornalistas Mário Barbosa e Durval C. Rangel e o outro escrito pelo Dr. Guilherme Junqueira Meirelles.

             Venceu este último. 

 

Obelisco comemorativo do cinquentenário da elevação do povoado a distrito 05/12/1902 a 06/12/1952 Foi erguido na Praça 7, onde hoje está a fonte Luminosa.

 

Foto 2000 Outra foto do obelisco, decorridos 50 anos, agora em outro quadrante do jardim em frente ao prédio do Bradesco. Em 2004 foi deslocado, outra vez para dar espaço ao Sanitário Público ao lado da Matriz  

 

Foto1952 - Desfile do cinqüentenário subindo a rua Minas na Praça 7 Na frente a jovem Norma Marteletto guiando um Trator

 

Foto 1952- Filha do prático de Farmácia, Riolando Alves Ferreira desfilando em frente ao prédio do Ginásio Estadual

 

Foto do desfile do cinqüentenário subindo a rua Minas, na Praça 7    

 

 

                                                   QUARTA  DATA

 

      30/05/1998 – Centenário da fundação de São Joaquim da barra

 

O centenário da cidade foi comemorado em 30 de maio de 1998.  Na verdade, entre as entidades particulares, quem deu mais atenção ao acontecimento foi a FEAM-COC.   Esta Escola com professores alunos e pais de alunos à zero hora do dia 30, sob o espocar de foguetes,  graças a participação da prefeitura , partindo da antiga Estação da Mogiana subiu a Avenida numa passeata cívica.  Na frente ia a fanfarra abrilhantando a passeata . Os sinos da Igreja também bimbalharam comemorando, mais uma contribuição para comemorar os 100 anos de São Joaquim da Barra.

      No salão de entrada do Banespa, desde 30 de maio de 1997, vinham sendo expostas fotos que contavam a história da cidade, um trabalho idealizado por José Henrique Maríncolo, a professora  Aparecida Pericim e o professor Lucio de O. Falleiros, com o apoio do BANESPA da FEAM e da ALAJ ( Academia de Letras e Artes Joaquinense ). As fotos eram mudadas semanalmente .  Os alunos da Feam – Coc contribuíram para que fossem encadernados alguns jornais da nossa Biblioteca Municipal, para facilitar o manuseio dos mesmos.

 Juntamente com a prefeitura a Feam – Coc, realizou um baile que proporcionou uma alegre noite de encontros e recordações. Nele com a ajuda do Jornal “ A Voz ” , foi distribuído gratuitamente o terceiro livro do professor Lúcio, com crônicas e fotos da cidade. As comemorações terminariam com um belo desfile pelas ruas da cidade.     

À zero hora do dia 30, sob o espocar dos fogos de artifício e o badalar do sino da Matriz, a Família FEAM-COC, passeia na avenida. Segurando a faixa os professores Renato Flora,  Lúcio de O.Falleiros e João Donizeti Gonçalves  

 

Fotos expostas no Banespa . Ao lado o joaquinense Fidelis Rossini, que ocupava gerência do Banco. As fotos seriam mudadas semanalmente Mais de 200 fotos foram mostradas contando um pouco da História de São de Joaquim da Barra.

 

Três elegantes banespianas ao lado das fotos : Neide  Maria Morgan Aguiar ,Vilma Junqueira e Lúcia Martins Gomes     

 

O banespiano seresteiro Luiz Giágio Ao lado de quatro fotos, quando faltavam 50 semanas para a comemoração do centenário

DOIS ANIVERSÁRIOS : DUAS VIDAS-

 

(Escrita pela diretora da FEAM – COC, dona Neusa Ramalho dos Santos Vilani)

 

          Quando eu nasci, esta senhora que me recebeu de braços amorosos, já contava com precioso quarenta e cinco anos.

           Era uma dama morena, de cabelos enfeitados pelas flores do café que bordavam seu vestido verdejante.  Essa dama vibrava com o sorriso feliz daqueles que viam crescer a própria alegria no olhar dos que a cobiçavam.

           Essa senhora que hoje aniversaria, recebeu a filha idolatrada , uma escola modesta, algumas classes apenas no longínquo 1943.

           A filha sonhada por homens íntegros formou muitos joaquinenses ilustres.

           Realizaram ambas as suas missões e tínhamos certeza que seguiriam juntas pela estrada do progresso, cumprindo seus deveres.     

            São Joaquim da Barra e Feam-Coc se abraçam neste aniversário por terem ambos realizado suas missões.

            A filha orgulhosa cumprimenta a mãe centenária e deseja-lhe um futuro próspero e feliz..(Família Feam – Coc) - 30 de maio de 1998

 

No salão de entrada o ex- prefeito Lair Louveran Deieno, examina as fotos antigas de sua terra natal, expostas no saguão de entrada da sede do SJFC, onde seria realizado o baile do Centenário da cidade

 

Antes do baile festivo do centenário, uma foto dos responsáveis pelo evento Maria Fátima Villa Barbosa- Luciana Junqueira Sandrin  e seu esposo prefeito dr. Jorge Antônio Barbosa  Sandrin, Marco Pólo Trindade promoter da festa – Renato Flora- Sônia Maria Leça Teixeira Ferrero – Neusa Ramalho dos Santos Vilani – José Antônio de Oliveira Neto e Lúcio de O. Falleiros.

 

Em pé, José Antônio, diretor executivo da FEAM – COC , sentada Maria Helena , seu esposo Guerino Benedetti e Lúcio de O. Falleiros. Estes dois últimos em 1950 compraram a Escola de Comércio do seu fundador José Alves Ferreira e a venderam para a Fundação Educacional da Alta Mogiana, (FEAM), em 1972.

 

O casal Marta das Graças Camargo Maríncolo e seu esposo José Henrique, responsáveis pelas fotos do baile.

 

Os ex alunos Terezinha Lopes Puga Deienno e Jaime Tobias homenageados por terem participado da primeira turma de formandos da Escola de Comércio. O Dr. Edgard Pondé ao lado de sua esposa, professora Telma, homenageada como filha do fundador da mesma Escola .

 

Marília Falleiros Malheiro, professora e bibliotecária da FEAM- COC e a diretora dona Neusa Ramalho dos Santos Vilani nas extremidades e, o Prof. Lúcio Falleiros no centro. Os três entregando à bibliotecária Silvana Rossi Cervi e à funcionária Leila Marisa Alari da Silva, os jornais encadernados, uma doação dos alunos da Feam- Coc.    

 

Professor Lúcio e a Bibliotecária Silvana folheando um dos jornais encadernados 

 

Os alunos da FEAM-COC desfilam em frente do palanque onde estavam as autoridades

 

No desfile aparece a Escola Estadual do PrimeiroGrau Sylvio Torquato Junqueira com o aluno José Henrique Maríncolo Filho, carregando a bandeira do município.         

 

Durante o desfile os funcionários da FEAM_COC distribuíram os cartões ao lado. A igreja de ontem e a de hoje, bem como a FEAM de ontem e de hoje

 

O prefeito Sandrin, sua esposa Luciana Regina Maura, companheira de mocidade de Ana Maria Braga, nas vésperas do centenário da nossa cidade foram ao seu programa convida-la para as festividades. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                                                                                                       

 

 

 

 

   

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                 

 

 

 

             

         

 

 

 

             

                   

    

 

 

 

                                                                                                                                                                                                     

 

 

                 

                                                                                                                                                       

 

 

 

 

   


Voltar