Apoio:

Crônicas e Fotos

de São Joaquim da Barra

JORNAIS DO POVOADO, ATÉ A DÉCADA DE CINQUENTA.

O pai da imprensa jornalística joaquinense é sem dúvida o sr. Deodoro de Sá Macedo ( Doca ), que aqui instalou o primeiro prelo manual e a primeira Tipografia, na praça da Matriz bem em frente da capelinha. Seguiu as pegadas de seu ilustre pai, Juvenal de Sá Macedo Carvalho, que era caricaturista emérito,  um jornalista de pena maneirosa, fácil e humorística.  Vieram de Rezende , tendo antes morado em Ribeirão Preto, onde seu pai fundou o Diário da Manhã, que circula até hoje. 

     Deodoro de Sá Macedo fez circular em nossa cidade o primeiro jornal a 14 de fevereiro de 1914, com o nome de “A Tribuna”. Jornal independente que circulou por quase 15 anos. Em nossa biblioteca existe a coleção completa do mesmo.

     Na época, quase todos os jornais , como ainda acontece hoje , dependiam do auxílio dos políticos ou da prefeitura.

    O jornal “ A Tribuna “ conseguiu sobreviver, conservando-se independente .

    Embora existisse somente um partido político na região, o Partido Republicano Paulista, o famoso P.R.P., em nossa cidade existiam dois diretórios desse partido, cujo presidente era o Coronel Francisco Orlando Diniz Junqueira. Apesar de pertencerem a um mesmo partido, os dois sub-diretórios trocavam entre si farpas e mais farpas.

      Cada um teria o seu jornal.

      “ O União” foi fundado em 20 de julho de 1916, com uma tiragem de 600 exemplares de publicação semanal e gratuita.  Pertencia ao sub-diretório do Manuel Trindade e Manoel Gouveia de Lima .  Logo depois em dezembro do mesmo ano o português professor Camilo de Figueiredo Dias fundaria o terceiro jornal da cidade, com o nome de  “O Município”.  Este acabou defendendo os interesses do outro diretório, presidido pelo Major José Cardoso. Em 1918 quando houve uma divergencia politica entre os membros da familia junqueira o jornal união passaria portanto a apoiar os (Jaburus) adeptos do coronel Orlando e o "O Municipio" defenderia os "Gafanhotos" adeptos dos irmãos e cunhados do coronel, liderados por Majino Diniz Junqueira.

       Em 1929, nem bem terminara de circular o jornal “A Tribuna”, o sr. Deodoro de Sá Macedo voltou a fazer circular outro jornal com o nome de “ O Jornal”, com circulação até 1935.

       Nesse período funcionariam outros jornais, com menor tempo de duração : “ A Comarca”em 15 de janeiro de 1928, “Brasil Moderno “ em 1929, “ 9 de Julho “ de 1934 e “Correio Paulista “ de 1932 a 1935.

       Em nossa Biblioteca Municipal, existem exemplares de quase todos eles  .

       Na verdade os jornais de maior aceitação foram, A Tribuna, O Jornal e um terceiro, “O Bandeirante “ que apareceria em 1936 circulando até o final da década de 40.

       Quase toda a década de 40 a cidade ficou sem jornal.  Somente no início da década de 50, teríamos jornal circulando, “ O Bandeirante “ em sua segunda fase.

       Antes de ser fundado o nosso primeiro jornal em 1914, as notícias divulgadas sobre os acontecimentos do distrito de São Joaquim eram divulgados pelo jornal “O Nuporanga” que existia desde 1901.    

       Na década de 40, nas datas comemorativas da cidade, as notícias eram divulgadas pelo “Diário da Manhã” de Ribeirão Preto. Assim na edição de 14 de novembro de  1948, este jornal  mostra o progresso de São Joaquim da Barra na ocasião em que Adolfo Alfeu Ferrero era prefeito.  Por ocasião do cinqüentenário da elevação de São Joaquim a distrito, na edição especial de 7 de dezembro de 1952, quando era prefeito Roberto Rezende Junqueira, o jornal fala sobre a data de 06/12/1952, bem como conta um pouco da nossa história e dos munícipes que a ajudaram a crescer.   

Os três primeiros Jornais do São Joaquim“ A Tribuna”       --- “ A União” “ O Município”

 

Deodoro de Sá Macedo ( Doca ), na sua Tipografia Vitória em 14/02/1914, imprimiu o primeiro jornal do povoado,“ A Tribuna “   

 

ANÚNCIOS DO JORNAL “O MUNICÍPIO “, DE 1918 (FUNDADO EM 1916)

ANÚNCIOS NO JORNAL “ A UNIÃO “ DE 1918 ( FUNDADO EM 1016)

 

Jornais da década de 30 – “Correio Paulista” de Adauto Cardoso – “O Jornal” de Deodoro de Sá Macedo - “Ranchera”, de pouca duração dirigido por Aiçar Badran e “O Bandeirante” que circulou de 1936 a 1939 em sua primeira fase .  Na década de 40 não circulou jornal na cidade . “O Bandeirante” voltaria a ser editado, em sua segunda fase, no início da década de 50.


Voltar